Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Campus Votuporanga tem primeiro docente aprovado em banca para a classe de Professor Titular

Publicado: Quarta, 03 de Julho de 2024, 19h22 | Última atualização em Quinta, 04 de Julho de 2024, 20h29 | Acessos: 401

Juan Paulo Robles Balestero é professor da Rede Federal desde 2007 e teve seu Memorial avaliado por 4 doutores da área de Engenharia


Juan Balestero, agora Professor Titular do IFSP, tem 20 anos experiência na Educação Profissional [fotografia: arquivo do IFSP]


Na terça-feira, 2 de julho, ocorreu a banca avaliadora do primeiro docente do Campus Votuporanga candidato à classe de Titular na carreira de Magistério Federal no Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT). Juan Balestero teve seu Memorial analisado por quatro pares: Mauro Ceretta Moreira e Mauro Jinbo do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), Fernando Lessa Tofoli da Universidade Federal de São João del-Rey (UFSJ) e André Luís Gobbi Primo pelo IFSP, tendo Marcelo Luís Murari (IFSP) seu como suplente.

Durante a banca, o agora “Professor EBTT” da classe de Titular foi arguido sobre sua formação acadêmica e, sobretudo, atuação e produção em Ensino, Pesquisa e Extensão. “Foi um momento de expectativa, emoção e entusiasmo, de valorização de um trabalho de longo prazo”, diz Juan.

Engenheiro eletricista graduado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em 2003, no ano seguinte permaneceu no Campus Ilha Solteira e cursou o mestrado na área, tendo desenvolvido pesquisa sobre Eletrônica de Potência. Em 2004, iniciou sua atuação como professor no ensino técnico, na cidade de Ouroeste-SP, ministrando as disciplinas de Automação Industrial, Eletrônica de Potência, Instrumentação Eletrônica, Tecnologia dos Materiais, dentre outras.

“Na graduação, fui contemplado com uma bolsa de intercâmbio e pude estudar por um período na Universidade de Cádiz, na Espanha”, conta. Juan realizou estágio na área de instrumentação eletrônica e automação na Escola Técnica Superior de Engenharia de Algeciras, o que impulsionou sua formação acadêmica.

 

Print de tela da banca avaliadora remota de 2 de julho de 2024 [imagem: acerco de Juan Balestero]


De Populina-SP, a caminhada de Juan na Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (EPCT) começou em 2007 no antigo Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina (Cefet-SC), depois de 2 anos de experiência como professor do ensino profissional no noroeste paulista. Em Chapecó-SC, ajudou a implantar o campus homônimo com participação efetiva nas atividades educacionais e suporte às demandas administrativas, como fiscalização de contratos e comissões específicas temporárias.

Em 2011, no Campus Chapecó do atual IFSC, foi primeiro colocado na V Mostra de Pôsteres de congresso da instituição, com base nos resultados do projeto de pesquisa intitulado “Controle de velocidade de um motor cc com frenagem regenerativa”, desenvolvido a partir do ano anterior pelo Programa Institucional de Incentivo à Produção Científica e Inovação Tecnológica (PIPCITI-IFSC), tendo o estudante Paulo Zanettini do curso de Técnico em Eletroeletrônica como bolsista. Juan Balestero foi líder do Grupo de Pesquisa em Eletrônica de Potência da unidade de 2009 a 2014.

 

Paulo Zanettini e Juan Balestero em laboratório montado em 2009 no IFSC Campus Chapecó [Fotografia: arquivo pessoal]


Ainda no IFSC, integrou equipe de projeto de pesquisa da UFSJ coordenado por Fernando Lessa Tofoli e executado de 2012 a 2014, cujo objetivo principal era desenvolver um sistema eletrônico de acionamento para motores CC empregando um conversor CC-CC baseado na célula de três estados. “Obtive junto aos colegas pesquisadores a patente intitulada Conversores CC-CC para Acionamentos de Máquinas de Corrente Contínua”, relata em seu Memorial. O registro junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) está sob o número BR1020130270350.

 

Trajetória no IFSP

“Especialmente gratificante é a oportunidade de contribuir para uma instituição tão importante como o IFSP”

Juan Balestero e o estudante Higor Dalbom da Silva, utilizando triciclo elétrico desenvolvido em projeto com recursos do CNPq [fotografia: arquivo pessoal]


“Quando entrei (Campus Chapecó), tinha no corredor um mapa com o plano de expansão da Rede Federal… O Campus de Votuporanga aparecia com data de previsão de inauguração. Desde então, coloquei como meta minha vinda para esta cidade maravilhosa”, revela Juan.

A redistribuição de Juan Balestero para o IFSP ocorreu em março de 2014, quando começou a lecionar no curso Técnico em Eletrotécnica. No semestre letivo seguinte, passou a colaborar com a elaboração do projeto pedagógico do curso de graduação em Engenharia Elétrica, oferta que se concretizou em 2017 no Campus Votuporanga.

Antes de se afastar para o doutorado, o docente integrou a equipe do projeto de extensão que atuou em cooperação técnica com a Rede de Reabilitação Lucy Montoro, cuja parceria resultou no desenvolvimento de protótipo de cadeira de rodas motorizada de baixo custo para a unidade de Fernandópolis-SP.

 

Entrega simbólica de cheque na sede da Associação dos Amigos do Município de Fernandópolis (AAMFER), em 2018, para o projeto extenionista em parceria com a Rede Lucy Montoro: da esquerda, Osvandre Martins, Marcos Furini, Carlos Eduardo da Silva, Juan Balestero, Carlos Eduardo de Oliveira e Fernando Lyra [fotografia: arquivo pessoal]


De 2018 a 2022, Juan Balestero cursou o doutorado com foco em linhas de transmissão, novamente pela Unesp Ilha Solteira, com dedicação integral à pesquisa. Dos resultados, houve a publicação de 2 papers (artigos) em periódicos internacionais (revistas indexadas).

O retorno à sala de aula em agosto de 2022, após o doutorado e o isolamento social decorrente da pandemia, exigiu readaptações e propiciou novas experiências institucionais. “Quando retornei, comecei efetivamente na Engenharia Elétrica, e a pegada é outra: eu estava desde 2004 na sala de cursos técnicos; mas eu estava sim ansioso por isso”, analisa Juan.

Atualmente, leciona nos cursos de Técnico em Mecatrônica Integrado ao Ensino Médio e Engenharia Elétrica e é membro do Comitê de Pesquisa, Inovação e Pós-graduação (COMPESQ) e da equipe do LabIFMaker do campus. Com metade da carreira de professor no ensino profissional desenvolvida no Campus Votuporanga, Juan faz balanço positivo e comemora a jornada. “Especialmente gratificante é a oportunidade de contribuir para uma instituição tão importante como o IFSP. Às vezes, ao refletirmos sobre nossa trajetória, percebemos que, após uma longa jornada, as recompensas são verdadeiramente significativas”, afirma.

De janeiro de 2015 a março de 2019, o Professor Titular Juan Paulo Robles Balestero também foi Membro do Conselho Municipal de Educação de Votuporanga.

Professor Titular no IFSP

A promoção à Classe de Titular no Magistério Federal no Ensino EBTT requer a posse do título de doutor e o posicionamento no nível D-404 (topo) há pelo menos 2 anos e a elaboração de Memorial descritivo documentado com a atuação e produção acadêmica em Ensino, Pesquisa e Extensão, além das atividades inerentes à Administração Pública, ou de tese acadêmica inédita.

No IFSP, o processo é regido pela Resolução Normativa 17/2023. A carreira de “Professor EBTT”, referente aos Instituto Federais, tem como referência a Lei 12.772/2012.

registrado em:
Fim do conteúdo da página