Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Mães atípicas protagonizam roda de conversa sobre autismo e inclusão escolar

Publicado: Sexta, 05 de Abril de 2024, 18h22 | Última atualização em Sexta, 05 de Abril de 2024, 19h29 | Acessos: 525

Evento foi alusivo ao Dia Mundial de Conscientização do Autismo


Aline Gonçalves, Ana Cláudia Picolini e Gláucia de Paula [Fotografia: arquivo do IFSP]


Aline Paz Freitas Gonçalves, Ana Cláudia Picolini e Gláucia Luciane Cham Menezes Cândido de Paula têm algo em comum: são mulheres, mães atípicas e, de algum modo, viveram ou vivem o IFSP. Na quarta-feira, 3 de abril, cada uma abriu a Roda de Conversa sobre o Dia Mundial de Conscientização do Autismo a partir de sua vivência como mãe de autista em busca de respeito e efetiva inclusão na escola e na sociedade como um todo.

O evento ocorreu das 10h30 às 12h30, no Anfiteatro do Campus Votuporanga do IFSP, organizado pelo Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidade Educacionais Específicas, o Napne, como ação de Extensão do projeto “Mães Inclusivas: o protagonismo das mães de alunos público-alvo da Educação Especial”.

Estiveram presentes na abertura a secretária de Direitos Humanos de Votuporanga, Karolline Bianconi, a assistente social da respectiva secretaria municipal, Andrea Cristina Zamberlan, e Eloi Novaes Marques, Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPcD), que pontuaram os direitos da Pessoa com Deficiência (PcD) no município e o acesso a políticas públicas em vigor.

 

Andrea Zamberlan, Karolline Bianconi, Eloi Novaes Marques e o professor Bizio [fotografia: arquivo do IFSP]


 

Para a plateia de estudantes de turmas de Ensino Médio e Superior, Ana Cláudia Picolini frisou que o Dia Mundial do Autismo “foi ontem, no 2 de Abril”, mas que a luta por direitos e respeito não cessa. Para além dos demais 364 dias do ano, a servidora do Campus Votuporanga e fundadora do Grupo de Estudos sobre o Transtorno do Espectro Autista (GETEA) frisou que é mãe atípica 24 horas por dia, durante os 7 dias da semana. “Então, eu já sei que o que é o TEA e o três níveis de suporte; quero saber: o que vamos fazer pela inclusão?”, indagou.

Gláucia de Paula é mãe de autista matriculado em curso regular no IFSP. O acolhimento institucional foi destacado por ela durante a atividade. “Eu me sensibilizei pelo cuidado conosco e com os demais”, disse. Pedagoga e professora, argumentou que o êxito escolar depende da articulação do tripé instituição escolar, rede familiar e equipe multiprofissional de saúde.

De junho a dezembro de 2023, a psicopedagoga Aline Gonçalves atuou no Napne do Campus Votuporanga como profissional contratada para atender os casos em Educação Especial. A visita ao IFSP na condição de mãe reforçou laços de afetos e empatia. “Atuo desde 2015 nesse campo profissional e, em 2020, tornei-me mãe atípica, o que impactou a minha caminhada”, contou a doutora em Psicologia Educacional.

 

Público presente interagiu com as mães convidadas [Fotografia: arquivo do IFSP]


As três mães relataram suas experiências pessoais com a maternidade atípica, interagiram com o público e responderam a perguntas sobre identificação do autismo, avanços e desafios para inclusão no ambiente escolar, percepção de traços no meio familiar e a procura por atendimento para diagnóstico do Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Projetos Mães Inclusivas. Mães de crianças e adolescentes de Votuporanga-SP e região que quiserem saber mais sobre as atividades do projeto e o acolhimento institucional oferecido pelo IFSP podem procurar o Napne do Campus Votuporanga pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou ligar para 17 3426 6998, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, para contato com a equipe da Coordenação de Extensão (CEX) para mais informações.

 

Alessandro de Oliveira (professor e secretário do Napne), Alexandre de Paula (psicólogo e coordenador sociopedagógico do Campus Votuporanga), as mães atípicas Gláucia, Ana Cláudia e Aline e o professor Bizio (coordenador do Napne) [fotografia: arquivo do IFSP]


 

registrado em:
Assunto(s): Autismo , Inclusão , Napne ,
Fim do conteúdo da página